Notícias

Reajuste salarial anunciado pelo governo é insuficiente

Posted by:

30 de outubro, 2019

Para a ADPESP, o reajuste de 5% para as forças policiais do estado de São Paulo é insignificante. O percentual vai incidir no piso salarial dos policiais civis, militares, científicos, técnicos científicos, agentes de segurança penitenciária, de escolta e de vigilância penitenciária. O acréscimo entrará em vigor a partir de 1° de janeiro de 2020, e contempla ativos e inativos.

O pronunciamento do governador João Doria foi feito na tarde de quarta-feira, 30, um dia antes do previsto. Embora represente o primeiro passo para o resgate da valorização da Polícia Civil paulista, trata-se de um valor insignificante diante do compromisso firmado pelo governador – de colocar os policiais civis de São Paulo entre os mais bem pagos do país até o final de seu mandato.

Vale destacar que os delegados do estado de São Paulo possuem o segundo pior salário do país, sendo necessário um reajuste salarial superior a 100% para ficar entre os mais bem pagos. “Nos preocupa o fato de o governador não apresentar um plano de aumento escalonado, ao longo de quatro anos, para o cumprimento de sua promessa. Sabemos que isso gera uma insegurança nos policiais civis”, avaliou Gustavo Mesquita, presidente da ADPESP.

Outras medidas

Além do reajuste de 5%, o governador anunciou outras quatro medidas que, segundo ele, compõem um “projeto de permanente de valorização salarial dos policiais em São Paulo”. Entre os pontos apresentados estão:

– Assistência jurídica gratuita para casos específicos ocorridos no exercício da função;

– Ampliação do programa de bonificação por resultados, que passará a ser bimestral e incluirá policiais que atuam nas corregedorias, nos departamentos de inteligência, na Academia de Polícia Civil e área administrativa;

– Aumento do auxílio alimentação, que poderá chegar até R$ 796,00, variando de acordo com a jornada de trabalho de cada profissional

– Adicional de insalubridade para todos os policiais de São Paulo

“Consideramos o aumento da Ajuda de Custo para Alimentação, uma pequena vitória. Trata-se de um pleito defendido arduamente por nossa diretoria. E é importante destacar o apoio fundamental do secretário executivo da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin, que muito nos auxilia na defesa de nossa Classe”, pontuou Mesquita.

A ADPESP seguirá cobrando do governador João Doria o resgate da efetiva dignidade salarial da Polícia Civil, bem como o cumprimento da promessa feita em campanha e após assumir o mandato. “Nós, policiais civis, estamos acostumados ao respeito à palavra empenhada, afinal, durante nossa atuação, o descumprimento de um compromisso feito pode significar a perda de uma vida”, enfatizou o presidente da Associação.

Veja a íntegra do posicionamento da ADPESP:

Confira o vídeo que mostra a verdadeira Polícia Civil do estado de São Paulo:

 

0