A ADPESP luta pelo fortalecimento da Polícia Civil e pela valorização dos policiais civis paulistas, pois acredita ser este o caminho para uma segurança pública mais eficiente para a população e o caminho para uma sociedade mais justa e segura.

O desenvolvimento e valorização do ser humano policial são determinantes para suprir as necessidades exigidas no combate à criminalidade e atendimento às demandas da sociedade por um serviço público de melhor qualidade.

A proposta defendida pela ADPESP estrutura-se em três pilares:

Esses três pilares formam a base de sustentação para a valorização do policial civil bandeirante, uma vez que

  • Restabelecem a dignidade remuneratória de todas as carreiras da Polícia Civil do Estado de São Paulo;

  • Motivam e promovem o desenvolvimento funcional de seus integrantes;

  • Regulamentam a jornada de trabalho dos policiais civis;

  • Melhoram a qualidade dos serviços essenciais prestados à sociedade!

Valorizar o ser humano policial é urgente!

Proposta de Valorização
A ADPESP estruturou uma proposta de valorização dos policiais civis paulistas, a partir dos pilares salário, plano de carreira e jornada de trabalho.

Polícia Civil-SP: uma nova perspectiva remuneratória

PLC1 – Delegados de Polícia

PLC1 – exposição motivos delegados

PLC2 – todas carreiras PCCR

PLC2 – exposição motivos todas as carreiras PCCR

As minutas de Projetos de Leis Complementares tratam da reestruturação do plano de carreira dos policiais civis, regulamentação da jornada de trabalho e a transição para o sistema remuneratório por subsídio de modo planejado e optativo. Dentre outras providências, os projetos preveem o reajuste salarial escalonado e a instituição de verbas indenizatórias como instrumentos para alcançar a justiça salarial de todas as carreiras da Polícia Civil.

RESISTE PC-SP
Neste ano de 2021, a ADPESP reuniu as entidades representativas das carreiras da Polícia Civil com objetivo de instituir o Fórum Interassociativo e Intersindical das Carreiras Policiais Civis do Estado de São Paulo, denominado RESISTE PC-SP.

A atuação do Fórum RESISTE PC-SP tem por fundamentos a defesa dos princípios democráticos, valores republicanos, cidadania, salvaguarda da ética, da moralidade, da transparência no trato da coisa pública e promoção da justiça social, em especial, por intermédio da preservação da participação e controle da sociedade sobre as políticas públicas, sobretudo na área de Segurança Pública.

O Fórum RESISTE PC-SP é composto pelas seguintes entidades:

Leia a íntegra da Carta de Princípios do Fórum Interassociativo e Intersindical das Carreiras Policiais Civis do Estado de São Paulo – RESISTE PC-SP.

O Fórum RESISTE PC-SP luta pelo fortalecimento da Polícia Civil e pela valorização dos policiais civis paulistas, pois acredita ser este o caminho para uma segurança pública mais eficiente em busca de uma sociedade mais justa e segura.

Valorizar o ser humano policial é urgente!

Histórico de atuação
O descaso com a Polícia Civil paulista não é nenhuma novidade. Historicamente, os governos não investem no aparelhamento, infraestrutura ou valorização dos policiais. São mais de 20 anos de abandono, que resultam em um grave sucateamento.

O alerta sobre tal cenário vem sendo dado pela ADPESP incessantemente. Ainda durante a campanha eleitoral em 2018, a Associação recebeu os principais candidatos ao posto mais elevado do estado – João DoriaMárcio França e Paulo Skaf – e apresentou a realidade da Polícia Civil.

Desde o início da gestão Doria, a ADPESP segue buscando diálogo com o governo, ofertando dados, estudos e propostas que contribuam para o fortalecimento da Polícia Civil paulista. A diretoria da Associação entende ser urgente e necessária a criação de um planejamento estratégico para a segurança pública, que traga investimentos estruturais, recomposição salarial e minimize o déficit de policiais civis, que hoje ultrapassa 1/3 do efetivo.

Em setembro de 2019, a diretoria da ADPESP apresentou um ofício ao governador, no qual expõe uma proposta estruturada de aumento salarial para a Polícia Civil. No sentido de contribuir com o compromisso assumido por João Doria – de colocar a Polícia Civil paulista entre as mais bem pagas do país – foi proposto um plano escalonado de reajuste, ofertando o modelo remuneratório de subsídio.

Ao longo de 2020, a ADPESP aprimorou a proposta de recomposição salarial e o plano de carreira da Polícia Civil do estado de São Paulo, sem deixar de acompanhar os anseios da classe e de pressionar o governador do estado pelo cumprimento da promessa feita aos policiais paulistas.

Em 2021, a diretoria da Associação deu início à articulação política junto aos deputados estaduais, apresentando a proposta de valorização salarial e da carreira dos policiais civis aos parlamentares.