Notícias

Policiais fazem ato por aposentadoria digna

Posted by:

25 de junho, 2019

Na manhã desta terça-feira, 25, diferentes entidades policiais se reuniram para um ato em defesa de uma reforma previdenciária mais justa do que a proposta apresentada pelo governo federal. O pleito é para que sejam reconhecidas as especificidades da carreira e os policiais tenham uma aposentadoria permita uma vida digna, de acordo com a natureza de suas funções.

“Nós, da Polícia Civil, estamos aqui unidos por justiça na reforma da Previdência, mostrando e esclarecendo para a sociedade que não queremos e nem precisamos de privilégios, mas exigimos justiça”, pontuou Gustavo Mesquita Galvão Bueno, presidente da ADPESP.

Mesquita chama atenção ainda que a reforma deve considerar a natureza e as especificidades das funções policiais: “É importante considerar o risco que corremos e a atividade insalubre que exercemos. A aposentadoria especial é, talvez, a única compensação que nós policiais temos diante de todos esses fatores”.

Os participantes do manifesto votaram por intensificar as ações em defesa de mudanças na reforma da Previdência, programando um novo ato para início de julho, em Brasília. “Cada vez mais é necessária a nossa luta, não devemos esmorecer. A hora é agora!”, enfatizou Mesquita.

Pontos críticos

A ADPESP vem chamando a atenção, principalmente, para a diferença no tratamento dado pela proposta da Previdência aos Policiais Civis e Militares. De acordo com a reforma, os policiais civis e os agentes penitenciários e socioeducativos da União só poderão se aposentar a partir dos 55 anos, com 30 anos de contribuição e 25 na atividade.

No caso dos Policiais e Bombeiros Militares, as exigências serão iguais às das Forças Armadas, já que eles estão de fora da PEC 6/2019 (reforma da Previdência) e foram incluídos no PL nº 1645/2019.

“Queremos reivindicar desse governo, foi eleito com a pauta da segurança pública, um tratamento digno. Por uma questão de justiça, esperamos que o governo olhe por nós com o mínimo de humanidade”, destacou o presidente da ADPESP.

Participaram do ato nesta terça-feira, representantes da Associação dos Delegados de Polícia do estado de São Paulo (ADPESP), Sindicato dos Delegados de Polícia do estado de São Paulo (SINDPESP), Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do estado de São Paulo (SINDPF-SP) e Sindicato dos Servidores da Polícia Federal no estado de São Paulo (SINDIPOLF-SP).

0