Notícias

Governo de SP abre vagas para Polícia, mas ainda falta planejamento

Posted by:

Como fruto de ações constantes da Associação dos Delegados de Polícia Civil de São Paulo (ADPESP) e do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil de São Paulo (SINDPESP), o governo do estado publicou no Diário Oficial a autorização para concurso da PC-SP. A previsão é de 2.939 vagas, sendo 250 para a carreira de delegado.

O anúncio representa uma vitória para a ADPESP e o SINDPESP. A realização de concursos anuais é um pleito defendido pelas entidades para que seja minimizado o déficit no quadro de policiais do estado.

A Associação e o Sindicato vêm alertando incessantemente sobre o alarmante quadro de evasão de delegados e policiais civis de São Paulo, que abandonam suas carreiras na corporação por conta dos baixos salários e da falta de investimentos em infraestrutura. Os delegados de São Paulo têm o pior salário do país.

Gustavo Mesquita Galvão Bueno, presidente da ADPESP, reconhece que a autorização para o concurso é um primeiro passo para resolução do problema, mas que não é o único: “A Polícia Civil de São Paulo tem hoje um grande déficit de agentes, que pode ser reduzido com a abertura de novos concursos. No entanto, é fundamental que o governo invista também em ações para manter esses policiais na corporação, e a reparação salarial é a saída, caso contrário, ao término da seleção e formação desses novos policiais, um número ainda maior já terá deixado a carreira em busca de postos mais atraentes”.

Planejamento

A ADPESP e o SINDPESP têm reforçado ainda a necessidade de um planejamento estruturado para recomposição do quadro de policiais civis no estado. Mesquita esclarece que são necessários de 2 a 2,5 anos entre a abertura do edital, as etapas do concurso, o curso de formação e a efetiva entrada em serviço.

“Sem um planejamento estruturado da Secretaria de Segurança Pública ou do governo Doria para minimizar o déficit de policiais no médio-longo prazos, o problema não será resolvido em 4 anos, e nem mesmo em 40”, alerta Mesquita.

0