Notícias

Doria vem à Adpesp e promete valorizar a Polícia Civil

Publicado em: 10 de Set de 2018

O candidato ao governo do Estado pelo PSDB, João Doria, assegurou nesta segunda-feira (10/09/2018), em encontro com delegados de polícia no auditório da Adpesp, que, se eleito, seu secretário de Segurança Pública não será promotor ou procurador de Justiça. Doria esclareceu que a escolha não representa qualquer demérito ao MPE ou ao atual secretário, o promotor de Justiça Mágino Alves Barbosa Filho.

Primeiro debatedor de um Ciclo de encontros com candidatos ao governo de São Paulo, promovido pela Adpesp e Sindpesp, Doria enfatizou que não ficaria “em cima no muro”, como seu partido é criticado, ao responder pergunta do ex-delegado geral de polícia e vice-presidente da ADPESP, Abrahão José Kfouri Filho, sobre a origem profissional do próximo secretário de Segurança Pública.

Sem adiantar nomes, Doria traçou o perfil do futuro secretário de Segurança Pública, se eleito: “Eu asseguro a vocês que à frente da Secretaria de Segurança Pública, nós teremos pessoas comprometidas e conhecedoras do sistema de segurança pública no país, e particularmente em São Paulo. E não teremos um promotor nem uma promotora”. Os oito últimos secretários de Segurança vieram do Ministério Público Estadual.

DÉFICIT DE POLICIAIS

Sem dar números nem prazos, Doria prometeu recuperar gradualmente, através de concursos públicos, o contingente de policiais civis e militares. O Estado de São Paulo tem um déficit de 13 mil policiais civis, o que corresponde a 31% do quadro funcional previsto em lei de 1994. “Aumentou a população e diminuiu o número de servidores na PC e também na PM”, ele reconheceu.

SALÁRIOS

Doria também garantiu que vai recuperar a remuneração das polícias Civil e Militar. “Gradualmente, sem romper a política fiscal do Estado, vamos melhorar a condição salarial das polícias Civil e Militar”. Admitiu que “não é razoável que São Paulo, estado mais importante do país, não ofereça salários condizentes com a estatura e a importância da sua Polícia Civil”.

De acordo com Doria, a promessa não tem nenhum interesse eleitoral. “São correções que precisam ser feitas, sem romper a política fiscal”.

THE STATE OF THE ART

Depois de examinar a situação fiscal do Estado, Doria anunciou que investirá em tecnologia, equipamentos e na recuperação da estrutura deteriorada das delegacias de polícia. Prometeu que a polícia vai atuar com o que tiver de melhor no primeiro mundo – “the state of the art”.

O programa tucano para a área de segurança prevê doações ou aquisições de câmeras, drones, centros de operação integrada, DEICs regionais e 22 BAEPs (Batalhões de Polícia Militar Especiais).

O presidente da Adpesp, Gustavo Mesquita, convidou outros candidatos ao governo para debater com a categoria. Anteriormente, a entidade e o Sindpesp se reuniram com os candidatos ao executivo estadual, a quem entregaram uma carta com sugestões para melhorar a segurança pública do Estado.

A apresentação de Doria foi acompanhada pelo deputado estadual Delegado Olim, a diretora do DHPP, Elisabete Sato, e o diretor do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), Oswaldo Nico Gonçalves, estes representando o Conselho da Polícia Civil.

A mesa de debates foi integrada pelo vice-presidente do Sindpesp, José Vicente Barreto, pela delegada Jaqueline Valadares, que representou a presidente Raquel Gallinati, e pela presidente do Sindicado dos Delegados de Polícia Federal (SINDPF/SP) e diretora regional da Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF/SP), Tania Prado Pereira. Também participou do evento o ex-delegado geral Mauricio Freire, candidato a deputado federal.